alimentação

Por que a fome aumentou no Brasil? Entenda no Programa Bem Viver

Cenário da pandemia ocorre após IBGE registrar dados preocupantes entre 2017 e 2018

Ouça o áudio:

'Marmitaço' organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) no dia Dia Internacional do Agricultor - Joka Madruga/Terra Sem Males
Especialistas apontam um aumento considerável na insegurança alimentar em todas regiões do Brasil

O programa Bem Viver desta sexta-feira (16) adentra as pautas do Dia Mundial da Alimentação. No Brasil, o tema volta a ser uma prioridade desde 2017, ano em 10,284 milhões de pessoas foram atingidas pela fome. Os dados correspondem a 5% da população brasileira sem acesso a uma alimentação adequada, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).    

Os números continuam crescendo e foram acentuados pela pandemia do novo coronavírus. Buscando alternativas para combater a fome, o MST realizou um debate online com a participação de diversas personalidades importantes dentro e fora do movimento. O ato faz parte da Jornada Nacional de Alimentação.

:: Famílias do MST distribuem mudas de árvores para reflorestamento em Viamão (RS) ::

E sobre a cobertura das eleições de 2020, o Brasil de Fato conversa com a engenheira agrônoma Flavia Londres sobre os deveres e responsabilidades do prefeito e dos vereadores quando o assunto é comida na mesa. E, pensando nisso, a Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) elaborou um documento com uma dezena de propostas para gestores municipais em defesa do direito à alimentação e do desenvolvimento da Agroecologia.

:: Eleições Municipais 2020: disputar as consciências para garantir a vida ::

No tema da imunização, o destaque vai para o chamado Dia D, mobilização nacional de multivacinação que será realizada neste sábado (17). A ação movimenta os postos de saúde pelo país na proposta de atualizar o calendário de vacinas de menores de 15 anos. Vale lembrar que o índice de imunização brasileira registrou baixas nas médias dos últimos anos. 

:: No RJ, bancários protestam contra demissões em massa de bancos privados na pandemia ::

Outro destaque da edição é o andamento das vacinas contra o coronavírus que estão em fase de teste. O programa Bem Viver conversa com médico infectologista Julio Croda. Ele salienta que, caso uma vacina seja concluída em 2021, as doses do imunizante devem ser direcionadas para casos específicos, como profissionais da área da saúde e grupos de risco. O debate entra também na questão das sequelas observadas em pacientes curados da covid-19. 


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira, e nos aplicativos Spotify e Google Podcasts.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

 

Edição: Daniel Lamir